terça-feira, 30 de setembro de 2014

Deixa pra lá

A tristeza que machuca
A saudade que me corta
A verdade que fechou
A janela nos meus dedos
E que na minha cara
Bateu a porta
Parecem insuportáveis
Mas nada importa

Esta mentalidade tacanha
Esta filosofia torta
Que a humanidade esbanja
E até ostenta orgulhosa
A amargura que
Entope minha aorta
São tão sufocantes
Mas nada importa

Todos os recursos esgotados
Uma estrutura que não suporta
Nossa loucura, nossa ganância
Uma sociedade falida
Uma vida fracassada
Minha ilusão está morta
E já não tenho palavras
Que expressem com poesia
A sensação que me acomete
Mas não se engane
Continuarei escrevendo
A rima que se dane
Nada mais importa

Nenhum comentário:

Postar um comentário